sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Massa pesada

Apesar de tudo, com uma simples falha que não poderia evitar, destruo todo o meu trabalho, o fácil e o difícil, e vejo-me preso novamente ao mesmo círculo anterior.
Portanto, talvez seja melhor suportar tudo, passivamente, comportar-se como uma mesma massa pesada, e se alguém se sente arrastado, não se deixar induzir ao menor passo desnecessário, olhar os demais com o olhar de um animal, não sentir nenhum arrependimento, enfim, afogar com uma só mão o fantasma de vida que ainda subsista, quer dizer, aumentar o mais possível a posterior calma sepulcral, e não deixar que subsista nada mais. Um movimento característico desse estado consiste em passar o dedo mindinho pelas sobrancelhas.
(Resoluções, Franz "wackadoodle!" Kafka)

2 comentários:

Thomaz Ribeiro disse...

Kafka é Kafka. Não precisa dizer mais nada.

Felipe Potiguà disse...

bom texto.